O Sucesso da Dieta está do Planejamento!


Você procura um nutricionista diferente todo ano? Procura um método de emagrecimento revolucionário? E mesmo assim está sempre passando pelo efeito sanfona? Está na hora de você assumir a sua CULPA no processo. Você pode procurar o melhor nutricionista, o melhor método, mas se você não AGIR de nada mudará.

Uma das coisas que notei nesses anos de atendimento em consultório é a falta de planejamento de alguns pacientes que não tem sucesso no tratamento. Pegar o cardápio na mão e segui-lo sem comprometimento não traz resultados. Por isso a importância de se planejar. Ir ao profissional é a segunda etapa do processo de emagrecimento definitivo, pois a mais importante é VOCÊ querer emagrecer. Com as duas etapas anteriores colocadas em prática é necessário colocar metas a serem atingidas, é necessário analisar quais são seus objetivos reais em querer emagrecer e lembrar deles todos os dias, pois a todo momento quem busca emagrecer está exposto a tentações, convites, reuniões e sempre a comida estará fazendo parte dessa rotina.

Sair de casa pela manhã e não saber o que vai comer é um dos maiores crimes para quem busca o emagrecimento. Pois se deixamos para resolver isso ao longo do dia, na correria, no stress do trabalho ou da rotina, sempre vamos optar por alimentos que naquele momento nos tragam mais prazer e conforto, e quase sempre essas escolhas não são saudáveis. É possível sentir prazer comendo frutas e iogurtes? Lógico, é tudo uma questão de costume e hábito. Se até hoje toda fez que eu sinto fome a tarde eu opto por comer bolo de chocolate, meu cérebro se acostuma com esse sabor e a sensação que o carboidrato simples e o chocolate trazem ao nosso corpo, quando troco por fruta ou algum alimento integral como castanhas, damascos, frutas, iogurtes, é natural que seu corpo responda de uma maneira diferente ao bolo. E esse processo pode levar meses, anos, porem se você QUER resultados, precisa persistir.

A dica de ouro então é PLANEJAMENTO ALIMENTAR. Com o cardápio de seu nutricionista em mãos você tem que traçar rotinas com ele. Exemplo: todo domingo é dia de ir ao supermercado comprar os itens listados, se tiver algum compromisso no dia faça a compra um dia antes, nunca deixe para o dia seguinte. Com tudo comprado é importante saber quais alimentos você já vai deixar pré-preparado, quais você já pode deixar em porções individuais para deixar sua rotina mais prática, se você vai preparar e congelar, se vai preparar todos os dias se manhã, se já vai deixar ficado na noite anterior para no almoço só colocar na panela, etc… Os lanches da manhã e lanche da tarde também devem ser planejados, no plano alimentar o nutricionista escolheu a melhor opção para sua rotina, então é importante saber como vai leva-lo, informar ao nutricionista se você tem geladeira ou micro-ondas no trabalho ou se tem bolsa térmica, e os alimentos devem sair com você de casa já pela manhã, para que se surgir algum imprevisto eles são estão a sua disposição.

Aquela velha desculpa: ‘’sai correndo de casa e não trouxe meus lanches’’ é a mesma coisa que dizíamos quando criança a professora que o cachorro comeu nossa lição de casa. Nos precisamos ter um tempo para cuidar de nos. E se seu objetivo é emagrecer você precisa arrumar esse tempo para se dedicar a uma boa alimentação. Se não o peso sempre será um problema para você! Reflita sobre isso! E sempre procure a ajuda de um profissional capacitado para isso! Seguir dietas de revistas, de sites, de blogs, pode não ser uma escolha saudável para você!

 

noticia93_foto5-665x390


Emagrecer não é milagre!


Emagrecimento! Essa palavra está estampada na capa de todas as revistas, é o título principal de blogs, mídias sociais e lógico, realmente e o desejo de muitas pessoas atualmente. Com o aumento da obesidade no mundo e principalmente no Brasil, que já ultrapassamos os 50% da população que estão acima do peso e já diagnósticos com obesidade. O aumento da obesidade se dá pela transição nutricional que a população vem passando nos últimos anos, o aumento de redes fastfood, produtos congelados, enlatados altamente calóricos e práticos, a falta de tempo para fazer atividade física, entre outros fatores. Porem o peso é algo que vai se somando ao longo de um período que às vezes pode ser rápido de mais, onde pessoas acumulam mais de 15 quilos em apenas poucos meses, ou aqueles quilinhos que vão se somando aos poucos e quando a pessoa se dá conta já está trocando o número de roupas, se sentindo mais cansada para subir um lance de escadas, não conseguindo amarrar seu próprio tênis, etc… Onde bate o desespero, e então a busca por um MILAGRE de emagrecer rapidamente todos aqueles quilos que levaram meses ou anos para se somarem, sumirem em semanas. Emagrecimento não é milagre, e sim um conjunto de mudanças de hábitos que levarão a perda de peso saudável e duradoura. Mesmo como nutricionista tenho conhecimento de que o processo de emagrecimento vai muito além de um cardápio equilibrado e balanceado, em muitos casos um equipe multidisciplinar seria o ideal, dependendo das condições do paciente. Bom, um educador físico no processo é super importante pois a atividade física regular ajuda a aumentar nosso gasto energético basal e acelera a queima de gordura corporal, além de proporcionar mais bem estar, diminuir a fome, controlar ansiedade, melhorar doenças e complicações de saúde, proporcionando maior qualidade de vida, um profissional deve ser procurado para orientar sobre os tipos de exercícios adequados para seu objetivo, e passar pelo seu médico é importante para que ele avalie que se você pode realizar tais tipos de atividades. Outra questão que precisa ser levado em consideração é a tão comentada ´´fome emocional´´, ou seja, se o indivíduo está ganhando peso por fatores emocionais que o fazem descontar ou compensar certos sentimentos não trabalhados, em exageros alimentares. Nesse caso o nutricionista precisa sugerir o acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra ao tratamento alimentar, pois não lidando com as emoções de maneira correto o paciente terá muitas recaídas durante o processo que podem desmotiva-lo cada vez mais a continuar o tratamento. É importante fazer o paciente se sentir a vontade para contar sobre certos episódios de exagero alimentar, beliscos em padarias, lanchonetes, pois são informações importantes que ajudar-nos na elaboração de um plano alimentar que veja realmente voltado para as preferencias do paciente. É importante no inicio do processo o nutricionista não retirar todos alimentos considerados errados de uma única vez, deve ser feito um desmame.

O primeiro passo é ser franco com o paciente, não devemos prometer coisas impossíveis, ao realizar a anamnese nutricional temos material suficiente para avaliar se a rotina do paciente vai permitir que ele siga nossas primeiras orientações ou não. Traçar metas curtas é muito mais motivador que dizer ao seu paciente que ele precisa perder trinta, quarenta quilos, sempre costumo pontuar perdas pequenas, por exemplo, um paciente que precisa perder realmente trinta quilos, na primeira consulta traço uma meta de quilos por semana, que variam de 1 a 1,5 quilos, isso deixa o paciente mais motivado. É muito importante reforçar que o peso total não perdido em apenas uma consulta e um retorno, que deverá ser feito um acompanhamento nutricional associado aos profissionais acima, pontuar que a perda de peso deve ser lenta e gradual e não rápida e logo o paciente entrar em estagnação. Sabemos que nos três primeiros meses a perda de peso é maior e nessa hora que o paciente precisa ter um suporte melhor, uma atenção especial, para evitar deslizes muito grandes, é importante que o acompanhamento seja em maior numero de vezes, se possível a cada semana ou quinzena, e levar em consideração as dificuldades e necessidades do paciente. Um obeso jamais deve ser submetido a uma dieta restritiva, uma vez que estudos reforçam que ele terá mais chances de desenvolver futuros transtornos alimentares, e sim submetido a uma dieta primeiramente qualitativa, com substituições mais saudáveis que as atuais, ou mesmo auxilia-lo no tamanho das porções. Incluir fibras nas principais refeições é uma estratégia que sempre da muito certo.

Concluindo, milagres não existem. Quando você se notar acima do peso deve procurar sempre um profissional para auxilia-lo, não comece por tentativas erradas: dietas de blogs, dietas fitness, dieta da vizinha, da irmã, dieta do personal da sua academia. Lembre-se que tais dietas não levam em consideração suas individualidades e isso pode ser um choque ao seu organismo e futuramente quando precisar procurar um profissional pode ser que os resultados vejam menores, pois o corpo sempre fica em estado de ‘alerta’. Uma boa reeducação alimentar é a solução para qualquer pessoa que quer perder peso, e quando falamos em reeducação alimentar não estamos falando de RESTRIÇÃO alimentar, e sim e aprender ou reaprender comer. Uma boa reeducação alimentar temos pão, leite, chocolates, sorvetes, achocolatados, enfim, todos os tipos de alimentos, se você não tem problemas de saúde que te impeçam de ingerir certos alimentos, não tem necessidade de passar por tal tortura.

Reforçando que dietas restritivas podem causar futuros problemas de saúde, e uma das glândulas que mais sofrem com essas dietas é a tireoide, o que pode induzir você a ter futuramente um hipotireoidismo, por ter optar por métodos muitos restritivos, entre outras complicações renais, cardíacas e sintomas característicos como dores de cabeças, fraquezas, molezas, tonturas, queda de cabelo, unhas quebradiças, alteração de humor, etc…

NÂO PROCURE UM MILAGRE PARA EMAGRECER! PROCURE A COISA CERTA! UM BOM PROFISSIONAL E FAÇA REEDUCAÇÃO ALIMENTAR.


Proteínas x Emagrecimento


Imagine um time de futebol em que todos os jogadores são atacantes — sem goleiro, zagueiros ou meio-campistas. Seria um caos, não? A equipe inteira estaria focada em marcar gol, mas não haveria ninguém para defender e criar jogadas. Agora, transponha essa situação para o nosso organismo, que precisa de vários nutrientes para obter energia, reparar tecidos e se proteger de invasores. Sem substâncias com diversos papéis, também ficamos alvos de desfalques, que, nesse caso, significam ceder espaço a distúrbios. Não é por menos que os especialistas repetem o velho mantra de equilibrar a dieta e colocar na balança as vantagens e as desvantagens de aumentar o consumo de um nutriente específico. A bola da vez, há algum tempo, é a proteína.

Duas pesquisas esquentam a discussão sobre incrementar ou não a oferta proteica ao cardápio. O primeiro, da Universidade Purdue, nos Estados Unidos, aponta o lado positivo dessa estratégia: a proteína, de fato, aumenta a saciedade e evita ataques à geladeira à noite. A digestão desse nutriente é mais difícil e lenta. Então, ele passa mais tempo no estômago.

No entanto, o nutriente não escapa de acusações. Outro trabalho, este da Universidade de Aberdeen, na Escócia, sugere que os fãs de menus hiperproteicos correm maior risco de câncer no intestino. É que os mais fanáticos pelo ingrediente muitas vezes deixam de lado carboidratos e vegetais. Aí a dieta se torna mais rica em gordura e fornece menos vitaminas e minerais, abrindo espaço para diversas doenças.

Será que vale a pena, então, enfrentar esse risco com o intuito de emagrecer? Segundo os especialistas ouvidos por SAÚDE, a resposta é não. Para eles, a recomendação de ingestão diária preconizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já contempla a dose saudável e segura. O ideal é consumir entre 0,8 e 1,2 grama de proteína por quilo de peso corporal todo dia. Uma pessoa de 60 quilos, por exemplo, deve comer cerca de 60 a 80 gramas por dia. A literatura diz que para hipertrofia podemos utilizar até 2,7 g, mas para casos mais específicos, lembre-se que o que conta é QUALIDADE da proteína consumida e não a QUANTIDADE.

Apesar dessa vocação para promover sensação de barriga cheia, a dieta farta em proteína está saindo de moda. Saciedade por saciedade, é preferível recorrer às fibras. Essas substâncias fornecidas por frutas, verduras, legumes e cereais integrais também passam lentamente pelo estômago e, mais do que isso, estabilizam o funcionamento do intestino, facilitando a tarefa de enxugar as medidas, além de terem comprovações científicas na prevenção de varias doenças.

Então o segredo está em não restringir nenhum tipo de nutriente, podemos comer de tudo, porem tudo na quantidade e momento certo. Essas dietas de moda são muito torturantes! Na reeducação alimentar você pode comer, pão, leite, chocolates, arroz, batatas, sobremesas, etc… é só ter a consciência e orientação correta do seu consumo, não precisa sofrer e nem passar fome para emagrecer! Evite frustrações, faça o correto!


Constipação Intestinal x Alimentação


O que é constipação intestinal?

Mais conhecida como prisão de ventre a constipação intestinal é um problema que atinge grande parcela da população moderna. A constipação é caracterizada pelo número de evacuações inferior a três vezes em uma semana;  pela diminuição do número de evacuações considerado usual nos últimos meses, ou, dificuldades para evacuar normalmente.

A constipação intestinal pode muitas vezes ser um sintoma de algum outro problema gastrointestinal, ou somente consequência de uma alimentação  pobre em fibras. Outros fatores além da alimentação também influenciam o surgimento da constipação, como idade, mais comum em idosos, sexo feminino sofre mais com o problema, e nível de atividade física, mais comum em indivíduos sedentários.

Para saber a causa da constipação intestinal é indicada uma consulta médica acompanhada de exames laboratoriais. O tratamento mais eficaz é feito pela suplementação de fibras naturais (através dos alimentos) ou de fibras manipuladas em farmácias de homeopatia. A primeira opção é sempre bem vinda e eficaz na maioria dos casos de constipação intestinal. O uso contínuo ou esporádico de medicamentos laxativos é terminantemente prejudicial!

Consequências da Constipação Intestinal

A constipação intestinal, definitivamente, causa um transtorno considerável ao organismo. O resultado desse estresse pode ser percebido de diversas maneiras. O inchaço e dor abdominal são os sinais percebidos em um primeiro momento, com o passar do tempo outros sinais começam a surgir como: mal humor, irritabilidade, cansaço, pele oleosa e gases.  Em longo prazo a constipação intestinal pode contribuir para o aparecimento de doenças mais graves como apendicite, câncer de cólon, obesidade e diabetes.

Alimentação e Constipação

Os alimentos podem ser divididos em dois grupos principais: laxantes e constipantes.

De uma maneira simples para evitar a constipação intestinal deve-se dar preferência ao grupo dos alimentos laxativos e evitar os alimentos constipantes. Não estamos falando aqui de nenhuma dieta especial e sim combinar os alimentos de maneira certa e aderir isso como rotina alimentar. Abaixo uma pequena listagem dos alimentos constipantes e laxantes.

Constipantes: arroz, chá preto ou mate, batata, chuchu, cará, inhame, ovo cozido, presunto, salsicha, pães, banana-maçã, caju, goiaba, maçã, bolachas, cenoura cozida, mandioca.

Laxantes: verduras em geral, aveia, abacate, azeitona, ameixa, abóbora, óleos vegetais, abacaxi, cebola, feijões, lentilha, repolho, creme de leite, pepino, tomate, chocolate, iogurte, quiabo, grão de bico, manteiga, sorvete, mamão, laranja, castanhas, manga, maçã, limão (suco concentrado), pêra.

Um detalhe importante na prevenção da constipação intestinal é a hidratação. Tomar no mínimo 2 litros de água por dia (equivalente a 8 – 10 copos) é imprescindível pra o funcionamento intestinal adequado. Outra dica, não menos importante, é manter o corpo ativo, a atividade física também ajuda na regulação do trânsito intestinal.

Observação

Esse artigo tem caráter apenas instrutivo e aplica-se a parte da população que é saudável, não substituindo consultas de nutricionistas e médicos. Ao ser observado qualquer acontecimento anormal deve-se consultar um profissional da área.


Alimentos Integrais x Refinados


É uma prática muito comum para aqueles que hoje buscam uma vida mais saudável optar pelos alimentos integrais. Porem algumas pessoas ainda não sabem realmente a diferença entre eles, vamos lá:

Os alimentos refinados são aqueles que no processo de industrialização perdem as cascas, germe e película do grão, e por isso são menos nutritivos e geralmente pobres em fibras. Já os alimentos integrais podem ser definidos como aqueles cuja estrutura não foi alterada, mantendo a integridade de seus nutrientes sem perda de valores qualitativos e quantitativos.

Um erro muito comum que os pacientes acabam relatando é: depois que comecei comer alimentos integrais notei que meu peso começou aumentar. Fique atento, o fato de você apenas fazer a substituição não significa que terá perda de peso, tudo depende da quantidade de alimentos ingerido. Se antes você comia 4 colheres de servir de arroz branco (e estava ganhando peso) e fato de comer 4 colheres de servir de arroz integral não está alterando em nada a quantidade de calorias da sua refeição, mas sim, qualificando em mais vitaminas, minerais e fibras. Isso mesmo, alimentos refinados e integrais tem em média a mesma caloria. E então você deve estar se perguntando, qual a vantagem de consumi-los?

– Os alimentos integrais mesmo tendo a mesma caloria dos refinados, tem suas vantagens de consumo por proporcionar ao a nos mais vitaminas (Complexo B), minerais (Cálcio, ferro, fósforo, potássio, etc…) e fibras dietéticas (que atuam no bom funcionamento do intestino e na prevenção de doenças cardiovasculares). Lembrando que o consumo de alimentos integrais, seguido de uma prática muito simples, a mastigação, pode auxiliar no emagrecimento, pois devido as fibras, trás maior sensação de saciedade e a fome demora mais tempo a voltar.

E lembre-se, sempre procure um profissional para te orientar no processo de emagrecimento, saúde é coisa séria.