A porção na sua mão!


Esse é um dos erros simples e muito comum e atrapalham muitas pessoas nos objetivos, pois muitos exageram e outro comem menos e depois ficam com fome e não sabem porque.

OBS: essas imagens não são minhas, tirei de um site e achei muito inteligente da parte da Nutricionista usar o título de ”porções na sua mão.”

 

Mixed Berries - feature on food portions

Porção de frutas cortadas ou unitárias – uma medida que da muito certo é uma xícara de chá cheia.

Brocolli - feature on food portions

Legumes cozidos sem óleo no vapor em geral.

Dried Pasta - feature on food portions

Porção de carboidratos do prato: arroz, macarrão, batatas, mandioquinha, mandioca, polenta, etc…

Mixed Nuts - feature on food portions

Nuts – um punhadinho ou 1 xícara de café (30 gramas em média)

Jacket Potatoes - feature on food portions

Batata doce ou inglesa sempre do tamanho da sua mãe fechada.

Salmon - feature on food portions

Peixes em geral uma palma da mão aberta.

Crunchy Peanut Butter - feature on food portions

Doces em geral como brigadeiros, pasta de amendoim, paçocas, etc…

Dairy Milk Chocolate - feature on food portions

20 gramas de chocolate.

Portion of Cheese - feature on food portions

Porção de queijos em geral. 2 dedões.

Cooked Steak - feature on food portions

Carnes grelhadas – palma da mão sem os dedos.

Slice of cake - feature on food portions

Tortas em geral.

 

GOSTOU DAS DICAS?  COMPARTILHE!


CALDO DE BATATA DOCE E MANDIOQUINHA: ORGÂNICO!


Caldo de Batata doce roxa com mandioquinha!

1910564_10208035311581834_6689145909551724042_n

Ingredientes:
1 batata doce roxa pequena
2 mandioquinhas pequenas
400 ml de água fervente
pimenta do reino ou da jamaica
cebolinha fresca para finalizar.

Modo de preparo:
Cozinhar todos os ingredientes e depois de cozidos bater no liquidificador.

Para servir sugestão é 1 fatia de queijo branco minas frescal e gergelim preto.


ORTOREXIA: O QUE É?


O que é Ortorexia?

O nome foi dado por Dr. Steven Bratman. O nome e a doença ainda não são reconhecidos oficialmente, mas se assemelham aos demais transtornos. Sabe aquelas pessoas que refletem bastante antes de escolher a refeição a ser feita, leem incansavelmente os rótulos dos alimentos e muitas vezes deixam de se alimentar devido às poucas opções de alimentos saudáveis? É exatamente a essas pessoas que o termo ortorexia se destina, nada mais é que a obsessão de comer apenas os alimentos ”permitidos” em uma dieta recomendada e jamais se permitir exceções.

Pode parecer irônico, não é verdade? Como uma pessoa pode prejudicar sua própria saúde se está se dedicando a uma alimentação estritamente saudável? Pois é, isso se torna prejudicial a partir do momento onde a alimentação é posta como prioridade sobre todas as escolhas e hábitos dessa pessoa. A restrição imposta por ela pode torná-la mais distante de seus amigos e familiares e ainda proporcionar oscilações de humor que podem prejudicar seu estado psicológico no exato momento da restrição ou no futuro. Essa pessoa apenas busca uma dieta perfeita e escolhe viver apenas para isso.

 

Causas da Ortorexia

A causa principal desse transtorno é a busca por um corpo perfeito. Atualmente, podemos facilmente nos deparar com parâmetros divulgados pela mídia e as referências utilizadas podem induzir as pessoas a buscarem por medidas que não se adequam ao seu biotipo corporal. A ideia central delas é apenas conquistar o corpo ideal e perfeito.

Há casos de preconceito com pessoas obesas que podem induzir à ortorexia através de discriminação e humilhação, assim resultando em consequências muito mais graves a essas pessoas. Esse transtorno requer muita atenção, pois diferentemente da anorexia e da bulimia, ele pode ser identificado tardiamente, pois seus sintomas podem aludir apenas a hábitos saudáveis. A insatisfação com a autoestima é um dos principais motivos responsáveis pela maioria dos casos de ortorexia nervosa. Há pessoas que também reconhecem a ortorexia nervosa como a única solução para melhoras rápidas de estado de saúde.

 

Sintomas da Ortorexia

Abaixo você poderá conhecer alguns dos sintomas que podem ser utilizados como referencia para identificar casos de Ortorexia nervosa. É importante analisar o comportamento e comparar com cada sintoma apresentado, pois quanto mais rápido for o reconhecimento do caso, melhor para a pessoa se recuperar e retomar um novo estilo de vida equilibrado e sadio.

  • As pessoas com Ortorexia nervosa se recusam a consumir alimentos com condimentos, conservantes ou corantes, muito utilizados principalmente em alimentos industrializados.
  • Elas excluem qualquer possibilidade de ingestão de alimentos geneticamente modificados ou pesticidas.
  • Quando convivem com essa obsessão, as pessoas com ortorexia nervosa excluem de forma radical a possibilidade de consumo de sal, açúcar e gordura, o que muitas vezes leva-os à exclusão de alimentos ricos em gorduras boas para o organismo.
  • Elas estão obcecadas com a forma de preparo e a composição dos alimentos.
  • Quando oferecidos, recusam alimentos que não se enquadram no grupo de alimentos permitidos em sua dieta restrita.
  • Quando decididas, as pessoas com ortorexia nervosa dedicam-se integralmente à dieta e não medem esforços, independente do preço a ser pago.
  • Quando não conseguem resistir a uma exceção, essas pessoas se culpam e se repreendem como se um crime fosse cometido, o que muitas vezes pode levar a momentos de sentimento de derrota e depressivos.
  • Essas pessoas deixam de respeitar o equilíbrio saudável que a variedade de alimentos pode oferecer, o que pode resultar em desnutrição e principalmente em mais momentos de fome durante o dia.
  • Há casos em que pessoas deixam de confiar nos profissionais da saúde e decidem inclusive adequar uma nova dieta de acordo com seus conhecimentos errôneos e influenciados pelo desejo infundável de conquistar o corpo sonhado.
  • Frequentemente criticam o estilo de vida das demais pessoas e desvalorizam qualquer hábito que não se adeque às finalidades que são priorizadas pela dieta equivocadamente reconhecida como “saudável”.
  • Distanciam-se dos âmbitos sociais e podem inclusive perder vínculos com amigos e familiares devido à dificuldade de aceitação da continuidade de rotinas vividas anteriormente com a ingestão de diversos alimentos que então se tornaram “proibidos”.
  • A dificuldade de aceitação de uma refeição não se limita aos valores nutritivos dos alimentos, mas pessoas com ortorexia nervosa também resistem em aceitar refeições preparadas por terceiros.
  • A perda de peso excessiva sem seguir uma dieta indicada e aprovada pode ser um dos sintomas de início de Ortorexia.

Seguir uma dieta saudável não é correto?

Não estamos afirmando que seguir uma dieta saudável é um erro, muito pelo contrário. O erro está em não se permitir uma exceção, em abrir mão de viver momentos felizes com pessoas que você ama apenas por não aceitar comer eventualmente alimentos que não se adequam à sua dieta atual. O equilíbrio é fundamental para sua vida, seu bem estar.

Unir-se às pessoas que você ama pode se tornar um erro para aqueles que estão com Ortorexia nervosa. Siga sim uma dieta saudável, mas uma dieta correta e eficaz deve ser equilibrada nos alimentos e nos hábitos de convivência, deve-se priorizar o que realmente lhe faz feliz.

 

FONTE: http://www.mundoboaforma.com.br/ortorexia-o-que-e-causas-sintomas-e-tratamento-deste-transtorno-alimentar


CALDO DE CENOURA ORGÂNICO


Os caldos e sopas são muito bem vindo no inverno, mas eu tenho uma paixão em especial por eles e não me importo de toma-los em qualquer época do ano. Sempre tem aquele dia que me bate uma vontade de come-los e eu me aventuro nas combinações. Esse que estou postando é o de cenoura orgânico, vamos aos ingredientes.

 

12345408_10207993003204151_6629873564560708465_n

 

Para cada porção eu usei:

3 cenouras sem casca orgânicas

1 batata doce roxa orgânica pequena

500 ml de água fervente mineral

cebolinha orgânica

pimenta do reino

Alho desidratado

 

Modo de preparo:

Colocar a água em uma panela, assim que levantar fervura colocar todos os ingredientes (eu sempre deixo a cebolinha para finalizar – depois que desligo o fogo), até amolecer. Bater tudo no liquidificador e servir.

 

 


MOLHO DE TOMATE CASEIRO (ORGÂNICO)


Nada melhor do que poder preparar a nossa própria refeição! Dessa maneira sabemos exatamente o que estamos comendo, e tudo mais natural e com menos conservantes e sódio em excesso! Vale a pena se planejar e dedicar parte da sua semana para VOCÊ!

12366367_10207991928937295_3901225656357425615_n

(Esse é meu kit de temperos desidratados: alho, cebola, pimentas diversas, açafrão, cúrcuma, salvia, mostarda em pó).

 

Ingredientes que usei no molho foram:

5 tomates orgânicos

4 cenouras orgânicas pequenas

1 pires de cebolinha orgânica (congelada – que eu mesmo congelei esses dias quando chegou minha cesta)

400 ml de água mineral filtrada

temperos a gosto: pimentas, alho desidratado, cebola, azeite extra virgem, gergelim preto, etc…

12346530_10207991930297329_7093697048979144991_n

Modo de preparo:

Bati os tomates no liquidificador com as cenouras (sem casca) cortadas e a água. Coloquei numa panela o molho já batido e acrescentei os temperos nas quantidades que gosto, só deixei a cebolinha por ultimo, depois que desliguei o fogo. Para ficar na textura que eu gosto cozinhei o molho por 35 minutos. Depois coloquei nos potinho próprio para congelamento e dividi em porções.

12299371_10207991929777316_3574824828404740674_n 12342391_10207991930737340_4257314746336379045_n

 

Nutricionista Rodolfo SCatolon CRN 38692 – Acesse também minha Fanpage: Rodolfo Scatolon Nutricionista

Tel: (19) 3039-1581 e-mail: contato@rodolfoscatolon.com.br


Um sabor a mais e umas doenças a menos…


O sal é um dos vilões mais temidos da atualidade, mas também é o menos combatido. Isso porque desde sempre nós nos acostumamos a comer tudo com uma bela pitada de sal. E se fosse só essa pitada, tudo bem! Mas, o que torna o sal um grande vilão é que ele é a principal fonte de sódio que consumimos, podendo causar aumento da pressão arterial levando a problemas mais sérios de saúde, como a hipertensão e sobrecarregar os rins. “Os temperos naturais ou condimentos melhoram o sabor, aroma e aparência dos alimentos preparados”

293933-temperos

Alho e Cebola

Os acompanhamentos básicos de quase todos os nossos pratos fazem muito bem a nossa saúde. “O alho, por exemplo, contribui para a diminuição da pressão sanguínea e dos níveis de colesterol. Já a cebola inibe a ação de algumas bactérias e fungos prejudiciais ao nosso organismo e diminui os riscos de trombose e aterosclerose”. A duplinha também ajuda na prevenção de alguns tipos de câncer, como o de pulmão, estômago, próstata e fígado.

Sálvia

Esta erva é usada como condimento e como planta medicinal por sua ação anti-inflamatória e por ser estimulante da digestão. “A sálvia é indicada nos casos de falta de apetite, edema, afecções da boca, afta, tosse e bronquite. Fica ótima com massas e aves”. A sálvia pode ser usada tanto em pó como as folhas inteiras.

Manjericão

A erva já é amiga da cozinha há muito tempo. Você provavelmente já a usou diversas vezes e seu gostinho inconfundível é o toque que falta em molhos vermelhos, tortas, saladas ou no clássico molho pesto. “O manjericão, além de muito gostoso, é amigo do sistema cardiovascular e acalma os espasmos da digestão. Quando utilizado em grandes quantidades, é um ótimo fortificante e antigripal.”

Alecrim

A planta confere um gostinho leve e especial quando usada na preparação de carnes vermelhas ou peixes. No arroz e em sopas é uma boa pedida também, perfumando o prato e a cozinha. “O alecrim faz bem porque combate o vírus da gripe e previne doenças dos rins, da retina e da catarata.”

Pimenta

Não é só na Bahia que este condimento é popular. Há quem ame e quem não viva sem. Mas, o importante é saber que a pimenta é muito mais do que um sabor afrodisíaco. O sabor ardido é por causa da capsaicina, substância antioxidante de ação curativa. “Além de prevenir alguns tipos de câncer e de reduzir o colesterol ruim (LDL) do sangue, a pimenta também acelera o metabolismo e, por isso, auxilia no emagrecimento.”

Coentro

Tantos as folhas como as sementes do coentro são ricas em ferro e vitamina C, alivia indigestão e tem poder calmante.

Estragão

Apesar de não ser muito conhecido, pode ser facilmente encontrado nas lojas de temperos ou até em supermercados. Suas folhinhas são parecidas com erva-doce. Experimentar estragão vai garantir um sabor novo, levemente adocicado, à comida, além de aliviar a cólica menstrual e auxiliar na digestão.

Louro

Caldinhos de feijão, sopa de legumes e carnes recheadas ficam com um sabor todo especial quando acrescentamos duas ou três folhinhas de louro. “Além de perfumar, os chás das folhas de louro proporcionam alívio contra gases”.

Orégano

Não é só na pizza que o orégano é bem-vindo. Muitas pessoas evitam o tempero por considerá-lo forte demais, por isso, o segredo é colocar apenas uma pitadinha, combinada outros ingredientes. As folhas de orégano fresco dão ainda mais aroma ao prato.

Tomilho

Esta erva é muito versátil porque pode ser usada em praticamente tudo na cozinha. Sem contar que é bom para aliviar distúrbios intestinais e prevenir inflamações. Além de muito saborosa, a plantinha é também muito bonita com suas folhas verdes em formato de coração e pequenas florzinhas. Por isso, além de usá-la comotempero, vale também investir na decoração do prato.

 

Açafrão: Está faltando uma corzinha no seu prato? Invista no açafrão. Além de proporcionar um sabor agradável, deixa o prato mais colorido, com tom amarelado. Muito usado na culinária Mediterrânea, o condimento tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatória que melhoram a digestão.

 

A salsinha também já é famosa conhecida de quem cozinha. Seja ela desidratada ou em folhas frescas, confere aos pratos um sabor leve e agradável, além é claro, de também ser uma aliada do nosso organismo, pois, como ensina a nutricionista, a salsa combate doenças do coração e dos rins.

 


Como se comportar em eventos de final de ano!


COMO ME COMPORTAR NOS EVENTOS DE FINAL DE ANO?

Quero compartilhar com você uma das coisas que mais ouço em consultório nesse final de ano: ”Como vou conseguir atingir meu objetivo com tantas festas, eventos, etc?”

Primeiramente tenho que lembra-lo que seu OBJETIVO deve ser mais forte do que ceder em todos os eventos, porem manter o objetivo não significa necessariamente ir a um evento e ficar tomando água, enquanto todos da mesa comem até explodir, mas sim ir com uma consciência maior do que anteriormente.

Quando pensamos em uma nutrição mais comportamental, focamos mais o COMO comer do que o QUANTO COMER.

Você para parou para pensar que quando vai ao Nutricionista você diz a seguinte frase: ”eu faço certinho durante a semana, mas final de semana eu engordo tudo”, típico pensamento de DIA DO LIXO – final de semana muitos esquecem de adotar alguns critérios importantes e só focam no comer, comer, comer e comer… Você come de 3 em 3 horas no final de semana? Você toma 2 litros de água ou mais sábado e domingo? Come  as mesma porção de alimentos que durante a semana? (Se isso está te ajudando no processo, porque no final de semana ESQUECER de tudo isso?).

Já para os eventos se você parar para analisar, NÃO é o evento em si que contribuiu para o ganho de peso na semana, e sim o dia todo do evento… já parou para pensar que o que te ”engordou” não foi o evento em si, e sim tudo que você se permitiu antes do evento usando ele como gatilho ou desculpa (”já que a noite tenho festa mesmo, vou comer isso, amanhã eu volto”), já se pegou nessa situação? Então o evento em si não é o único responsável pelo desvio do seu objetivo, concorda?

Uma dica prática que dá muito certo é começar a ver os eventos de uma maneira diferente e adotar pensamentos como: ”já que a noite tenho a festa, vou fazer as melhores escolhas durante o dia”, assim você pode ir ao evento sem culpa e sem peso na consciência (pois você está fazendo sua parte), e lógico, não é só porque você fez tudo certo durante o dia que no evento em questão você precisa comer até explodir, mas pode se permitir comer TUDO e com equilíbrio, até se sentir satisfeito.

Comece a encarrar os eventos não como obstáculos, mas sim como uma situação tranquila, onde você deve se policiar antes e apenas cuidar das quantidades DURANTE… abrir mão de provar alimentos durante eventos é algo NÃO sustentável, você precisa aprender a lidar com a situação e ir aos eventos e se controlar e saber o QUANTO e COMO pode comer. A privação só funciona a curto prazo e os eventos serão constantes em sua vida para sempre (muito mais inteligente e agradável poder participar do que se privar, minha psicóloga diz: ”ninguém vive sozinho!!!” e tenho certeza que ela está certa).

Espero que esse texto tenho clareado um pouco sua visão dos eventos… e reforçando, se policie ANTES dos eventos e verá como os resultados serão muito mais satisfatórios e menos torturantes para você!

Site-Final-de-Ano

                                PLANEJAMENTO DE EVENTOS

SEGUNDA – TERÇA – QUARTA – QUINTA – SEXTA – SÁBADO – DOMINGO

 

– Preciso me permitir sem critérios em TODOS os eventos?

– Quais são os eventos/lugares que sei que iria com maior frequência e posso ceder menos que anteriormente para poder me permitir mais em outro evento?

– Quantos eventos eu tenho na semana? Quais quero comer o suficiente? E quais vou me permitir comer um pouco além do normal? (se necessário).

OBS: CUIDADO para não usar o deslize de um evento para se sabotar a semana toda. Lembre-se sempre da dica do ANTES E DEPOIS!

Em todos os eventos você tem permissão para comer e provar os itens diferentes que forem servidos, apenas trabalhe as QUANTIDADES. Quando notar que está SATISFEITO evite comer e espere para mais tarde.