Texto Reflexivo: Por favor não insista!


Momento contribuição pessoal…

Texto: Por favor, não insista!

Um dia sua amiga, sua irmã, sua tia, sua mãe, sua filha, sua professora ou sua esposa acorda e ao trocar de roupa ou se olhar no espelho experimenta um sentimento de insatisfação, de incapacidade. Lembra-se de antigas experiencias que a frustraram ou simplesmente descobre que estar com muita sede deve-se ao diabetes, colesterol, ou Outra doença decorrente de maus hábitos alimentares.

Neste momento surge dentro dela o desejo de mudança, a esperança de que desta vez será diferente, que dessa vez não será apenas mais uma tentativa e o que objetivo será atingido. Sua motivação está nas alturas e as dificuldades do dia a dia vão sendo superadas e os resultados vão aparecendo. É nítido, você repara, você compreende que está se esforçando, que está se dedicando, se planejando e de fato sendo diferente desta vez. Minha proposta para você que está lendo isso é: você não sabe de fato quais são os motivos, não sabe compreender como pode ser prazeroso ou torturante para a pessoa estar dentro desse processo, não sabe quais são as suas motivações, não sabe quantos são os deslizes, nem imagina o que passa na sua cabeça a noite ou enquanto toma banho e fala que está feliz e realizada por dessa vez estar conseguindo! Então na festinha de aniversário você percebe que respeitando alguns critérios do equilíbrio alimentar e indo para a festa com objetivos diferente de antigamente que era apenas o de comer, eis que surgem as frases:

”Nossa, você está magra, porque vai comer apenas esses 6 salgados?”

”Coma sua boba, só hoje mesmo, amanhã você volta”

”Só mais um não tem problema, aproveite”

”Você não precisa se privar dessa maneira” ”Você não vai repetir? Como assim?”

VEJA LUZ,

SEJA ALEGRIA,

SEJA MOTIVAÇÃO,

SEJA RESPEITO,

ESTAR ALI PODE ESTAR SENDO UM MOMENTO DE GRANDE CONFLITO INTERNO E SUPERAÇÃO! VOCÊ ESTÁ CONTRIBUINDO COM PALAVRAS NEGATIVAS E ESTIMULANDO SUA AMIGA A DESISTIR DO PROCESSO? Você já pensou nisso? Saiba respeitar, sabia comer o seu e ponto. Faça a alegria e não promova momentos futuros de frustração nas pessoas que você ama evitando ser a amiga chata que fica incentivando o deslise e sabote.

 

Texto original Rodolfo Scatolon com contribuição de Viviane Battistella Psicoterapeuta.

Se apaixonar, emagrece?


Acredito que não há nada mais comum do que emagrecer ao apaixonar-se. Há relatos de mulheres perdem muito peso – e muitas roupas – ao encontrar uma grande paixão. Quando a paixão não acontece temos sempre aliados como o chocolate como muletas para o nosso vazio e/ou para quando somos rejeitados.

Em primeiro lugar, vamos definir o que é paixão. Paixão é diferente de amor. A paixão é um sentimento intenso que chega quase sempre sem avisar. Capaz de alterar nossa percepção da vida, do mundo e das pessoas. A paixão nos deixa entusiasmados e motivados. Os apaixonados tornam-se desconcentrados, perdem a fome e o sono. Seus olhos brilham, os batimentos cardíacos são acelerados. Tudo isso por culpa de um hormônio chamado dopamina, um dos responsáveis pela nossa felicidade, pela nossa alegria e por aquela constatação de que “o amor é lindo”. A paixão parece aumenta o metabolismo.

Pesquisas recentes mostraram que as estruturas do cérebro chamadas: núcleo caudado, área tegmentar ventral e córtex prefrontal se mostraram mais ativadas em pessoas apaixonadas. Estas são zonas ricas em dopamina e em endorfina. Ambas são neurotransmissores e a última possui efeito semelhante ao da morfina. Juntos eles estimulam os circuitos de recompensa – os mesmos que nos proporcionam prazer em comer quando sentimos fome e em beber quando temos sede. Estar apaixonado resultará na liberação de mais endorfina e dopamina, ou seja, de mais prazer. Então comer e beber passam a ser “secundários” e por isso o apaixonado emagrece.

Percebam a importância de quebrar a ligação exagerada entre as nossas fontes de prazer e o comportamento alimentar. A busca de outros prazeres é imprescindível para quem quer ou precisa perder peso. O dito “gostar da boa mesa” ou “o bom gourmet” muitas vezes disfarça o pecado da gula e/ou a compulsão alimentar na busca constante do bem estar resultante de descargas de dopamina e endorfina.

6-Apaixonarse

As atividades físicas, a paixão, um hobby ou qualquer atividade prazerosa são capazes de nos dar a dose diária de “felicidade” e de nos garantir “as lentes” para enxergar o lado bom do mundo.

Se você não está apaixonado ou se não tem condições de se apaixonar neste momento da sua vida, busque outra forma de “paixão” e isso certamente lhe ajudará no controle e mudança do seu comportamento alimentar. As paixões duram em média seis meses e depois disso partem para o caminho do amor ou do esquecimento. Em ambos os casos percebemos quase sempre um aumento de peso, visto que voltamos a buscar a dopamina e a endorfina na comida.

Paixão é como dieta radical: dura pouco e engorda no final. Talvez o caminho para uma vida física e emocional saudável seja sempre buscar o que nos motiva, que acrescenta e que dependam apenas de nós mesmos. O autocontrole, o domínio das rédeas sua vida, o amor próprio podem ser grandes aliados na busca de uma vida alegre e de momentos felizes.

 

Texto de Viviane Cristina Battistella – Psocologa e Psicoterapeuta –  contato: vcbattistella@terra.com.br

PURÊ DE BATATA DOCE


Para essa receita (que é uma opção substituta para o arroz integral, macarrão integral do seu prato para alguns dias da semana), não precisamos comer batata doce TODOS os dias, aprenda a variar e tenha mais satisfação e mais sabores na sua rotina!

 

1 batata doce roxa com casca (lavei bem a batata com buchinha)

1 colher de requeijão light ou zero

100 ml de leite desnatado

temperos a gosto (eu usei tempero mexicano a base de pimenta e ervas)

940853_10208312805038997_67182664660751994_n

Só cozinhar a batata e bater no mixer com todos os ingredientes. Nem precisa voltar para o fogo. Dica é preparar mais algumas porções e congelar para a semana!

 

 

Sedentarismo Alimentar: Tudo na mão – barriga no pé!


Última paciente do dia o nutri começou a filosofar e nos empolgamos a falar desse filme da Disney (Wall-E) que mostra de forma bem clara o que o sedentarismo causa em uma sociedade! A falta de atividade física além de contribuir para o aparecimento de várias doenças crônicas não transmissíveis, nos deixa a cada dia mais acomodados e com melhor estimativa de vida!

WALL-E-382

Foi então que levantei a questão: o sedentarismo alimentar, que defini como as pessoas hoje esperam tudo, tudo e tudo pronto, nas mãos ou se sabotam todos os dias!

Muitos artigos hoje citam que a satisfação em comer se inicia no ato de escolher, armazenar, preparar, servir e comer… Você já comeu alguma coisa pronta e parece que a fome continua!? Pois é seu cérebro não tem nada, nada registrado daquele alimento! Mesmo que seja algo delicioso ele reconhece que você não teve participação nisso e sua satisfação pode durar apenas minutos…

Quando nós propomos a preparar nossa própria refeição! Ao comer o cérebro toda uma viagem e lembra da sua escolha, armazenamento, cheiro ao preparar, textura, você colocando seu tempero favorito, resgata os sentimentos envolvidos de amor no preparo e isso te deixa muito mais satisfeito a longo prazo! Satisfação pode durar minutos, dias, semanas…

Mas lembre-se cozinhar sua própria refeição, não quer dizer que você precise ficar 2 horas do seu dia no fogão! Isso é pensamento sabotador e desculpa, pois hoje temos muita coisa saudável e pratica que levam apenas minutos para ficar pronto! Abre sua mente! Se permita! É uma dica é congelar como sempre posto e compartilho, essa pratica não torna o alimento algo insignificante para você pois você o preparou e congelou…

Vamos nos amar mais, vamos cozinhar mais…

Gostou? Compartilhe!

O alimento milagroso!


O ALIMENTO MILAGROSO!

download (1)

Um dia a chia, no outro a linhaça marrom ou a dourada, semana passada o matcha e essa semana as berrys… e essa velha história se repetirá pela eternidade, pois a cada mês, cada semana, cada dia ALGUÉM ainda espera que seja um alimento desses de lojinhas a grande solução do excesso de peso delas! Eu não sou contra os produtos vendido em lojas de produtos naturais, pelo contrário, lá as opções realmente seguem uma proposta mais natural, free, zero, etc… porem vale lembrar que nem tudo que é saudável é liberado a todo momento sem critério. Mas muito melhor visitar uma feira que somente essas lojinhas, concorda? 

Por maior que seja a propriedade nutricional de um ALIMENTOS em questão, sozinho e o seu consumo isolado não terá efeito no seu processo de emagrecimento! Apenas incluir um berry, matcha, chia, pois está na moda e estão falando que emagrece não quer dizer que irá de fato acontecer o seu emagrecimento.

Nosso peso é uma soma de comportamentos e relacionamento com a comida, incluir uma chia por ser saudável e seu prato do almoço continuar a ser de ”pedreiro” não vai contribuir para seu objetivo. (Lembrando que, sim, você vai ter os benefícios de incluir algum alimento funcional na sua SAÚDE, mas não necessariamente, este, refletirá no peso).

Nosso peso é também parte das calorias que ingerimos, e nossa ingestão deve estar dentro do que nosso corpo gasta para manter, ou comer um pouco menos para no primeiro momento nossa gordura em excesso ser utilizada como fonte de energia e o processo de emagrecimento acontecer. ISSO LEVA O TEMPO DO SEU CORPO E O TEMPO DO SEU RELACIONAMENTO ALIMENTAR!

Reforçando: somos a SOMA de TODAS as refeições, logo, somos tudo que comemos, por esse motivo, esperar que um alimento ISOLADO faça algo, é se frustrar e se iludir. Reflita.

Nutricionista Rodolfo Scatolon CRN3 38692

QUAL A LIGAÇÃO ENTRE OBESIDADE E CARÊNCIA AFETIVA!


QUAL A LIGAÇÃO ENTRE OBESIDADE E CARÊNCIA AFETIVA

 

“A sensação de incompletude se manifesta como um ‘buraco’ no estômago. É fácil confundi-la com a fome: é preciso atenção para não ficar obeso.” (Flávio Gikovate)

 

Em tempos nos quais a medicina tem atribuído muitos casos de câncer à obesidade, decidi escrever a vocês sobre algo muito visto e falado dentro dos nossos consultórios: a ligação entre obesidade e a sensação emocional de falta, de incompletude que sentimos em alguns momentos da vida.

Quem nunca comeu para suprir uma carência? E por que nunca se come alface nesses casos? A escolha pelo alimento é questão de prazer e está ligada à produção de serotonina. Está comprovado que o chocolate, por exemplo, provoca sim uma sensação de muito bem estar depois de ingerido, já a alface, não. Muitas, talvez a maioria das causas da obesidade esteja ligada à compulsão, ao comer por impulso para suprir um buraco no estômago que não é físico.

Alguns psicoterapeutas acreditam que as dietas para emagrecer acabam fracassando porque levam o indivíduo a pensar muito no assunto, a pensar muito em comida e como consequência, acabarem comendo mais. Pessoas magras não contam calorias, não ficam o tempo todo falando em dietas e não comem para satisfazer carências. Elas têm outros prazeres e por isso não precisam busca-lo na comida. Quer a prova? Apaixone-se! Por algo ou por alguém. Os apaixonados, quando antes acima do peso, emagrecem pelo simples fato de voltarem a comer apenas para saciar a fome física e passarem a buscar prazer no lugar certo. A paixão nos motiva. Pode ser paixão pela vida, por outro indivíduo, por uma arte ou mesmo pelo trabalho.

download (2)

Em um mondo paradoxal, no qual somos cobrados o tempo todo sermos perfeitos esteticamente, chegando a sacrificar dinheiro e saúde, a população engorda a cada dia. O número de pessoas cujos comportamentos são de compulsão alimentar cresceu nos últimos vinte anos e cresceu muito também, paralelo a isso, o número de pessoas solitárias. O individualismo e as dificuldades de relacionamento interpessoal crescem a cada dia e provocam um “vazio no nosso estômago” e em todo o resto. Confesso a vocês que isso não é só visto em grandes cidades não. Eu não vi diferença na distância interpessoal que se estabelece aqui em São Paulo, da que via na nossa Limeira. É cada um por si e a busca pelo convívio tem sido cada vez mais ligada ao interesse. Desaprendemos de como conviver, de como trocar as energias ao relacionar-se pelo simples fato de que nossa natureza é assim. Sentimos o tempo todo esse vazio, e não culpem apenas os smartphones; eu, sendo bem sincera, acredito que eles sejam mais consequência do que causa do nosso distanciamento uns dos outros.

Uns compram, outros se drogam, e muitos comem. Enfiam a cara no bolo de chocolate porque somos carentes sim, e trocar afeto está cada dia mais difícil. Já repararam que, sozinhos, comemos muito mais? E a melhor: que comer em boa companhia e em um momento de bate papo prazeroso não engorda? Todos nós conhecemos pessoas que cozinham maravilhosamente bem, que adoram comer e que são magras. Vejam bem, são magras, saudáveis, mas não “androides” esquisitos, cujos corpos parecem ter sido fabricados em laboratórios. Não acredito em prazer, nem tampouco em magreza alguma fabricada pela ingestão restrita de frango e batata doce. Como não é minha área, deixo aos médicos endocrinologistas o papel de esclarecer as doenças que isso pode causar.

Sempre brinco com as minhas amigas dizendo que “quem fica murchando a barriga na hora de transar, não goza”, porque essa neurose pelo corpo perfeito também é compulsão. Se comer ou fizer sexo com esses padrões compulsivos de comportamento, não vai funcionar; por outro lado, ao saborear um alimento, qualquer um, com e por prazer, acredite, não vai engordar.

A comida não tapa o buraco e o vazio provocado pela falta de afeto que sentimos, e afeto, como disse o sábio São Francisco de Assis: “é dando que se recebe”.

Ame mais e emagreça.

 

Texto original: Psicóloga, Psicoterapeuta, Especialista em comportamento humano, escritora: Viviane Battistella

Siga ela no Facebook: https://www.facebook.com/vivianebattistellapsicologa/?fref=ts

 

Meditação da Passa!


Muitas pessoas com dificuldade em controlar ou manter seu peso hoje passam pelo situação de querer comer algo diferente (geralmente calórico) e não ter o CONTROLE para comer apenas o suficiente, isso mesmo, essa palavra eu sempre abordo em primeira consulta é algo que muitos não sabem trabalhar ou colocar em prática: poder comer, mas saber respeitar sua satisfação e saciedade. Uma técnica que cientificamente está com muitas comprovoções de eficacia é a atenção plena ou ”mindfull”. Segue a baixo a meditação da Uva passa que ajudará você a criar um maior auto controle quando se expor aos alimentos mais difíceis para você no processo de eliminação de peso (vamos come-lo, mas porque até ver o fim? – reflita).

 

download

MEDITAÇÃO DA UVA PASSA: reserve de 5 a 10 minutos nos quais você possa ficar sozinho, sem ser interrompido por nada e por ninguém. Desligue o celular para não distrair sua mente. Você precisará de algumas uvas passas, uma folha de papel e uma canela para registrar suas reações. Sua tarefa será comer a fruta de forma atenta, assim como fez com o chocolate, ou outro alimento que goste muito.

Leia as instruções a seguir para saber o que é necessário e só as releia se precisar. Seu sentimento enquanto faz a meditação é mais importante do que seguir cada instrução nos mínimos detalhes. Você deve gastar de vinte segundos em cada um desses oito estágios:

1 – SEGURAR: pegue uma das uvas passas e segure-a na palma da mão ou entre os dedos e o polegar. Concentre-se nela, sinta-a como se nunca tivesse segurado nada semelhante. Consegue sentir seu peso? Ela forma uma samba na palma da mão?

 

2 – VER: dedique um tempo para realmente olhar a passa. Imagine que nunca viu uma antes. Examine-a com cuidado e atenção. Deixe os olhos explorarem seus detalhes. Examine os pontos onde a luz brilha, as cavidades mais escuras, as dobras e os sulcos.

 

3 – TOCAR: revire a passa entre os dedos, sentido sua textura. Que sensação ela provoca em sua mão?

 

4 – CHEIRAR: Agora aproxime-a do nariz e perceba o que sente a cada inspiração. Qual o seu aroma? Deixe o cheiro penetrar sua consciência. Se não houver aroma, note isso também.

 

5 – SENTIR: Leve a fruta até a boca (pode ser outra se quiser) e observe como sua mão sabe exatamente aonde ir. Coloque-a dentro da boca e observe o que a linguá faz para recebe-la. Sem mastigar, perceba as sensações de tê-la na língua. Comece a explorar a fruta com a língua. Faça isso por trinta segundos ou mais, se quiser.

 

6 – MASTIGAR: quando estiver pronto, conscientemente dê uma mordida na passa e note os efeitos na fruta e na sua boca. Observe quaisquer sabores que ela libere. Sinta a textura enquanto seus dentes a mordem. Continue mastigando devagar, mas não engula ainda. Note o que está acontecendo em sua boca.

 

7 – ENGOLIR: veja se consegue detectar a primeira intenção de engolir surgindo em sua mente. Observe essa intenção antes de realmente engolir. Note os movimentos que a língua faz a fim de se preparar para isso. Tente acompanhar as sensações da deglutição (do ato de engolir). Caso consiga, conscientemente sinta-a descendo até o estômago. E caso não a engula de uma só fez, concentre-se na segunda ou terceira deglutição. Observe o que a língua faz depois que você engoliu.

 

8 – EFEITOS POSTERIORES: Finalmente passe alguns momentos registrando os efeitos de deglutição. Existe um gosto residual? Qual a sensação da ausência da passa? Existe uma tendência automática de procurar outra?

Eis o que alguns participantes relatam?

”O mais incrível para mim foi o cheiro. Eu nunca o tinha percebido antes”

”Eu me senti meio idiota, como se estivesse numa aula de artes ou algo parecido”

”Pensei que elas eram feias, pequenas e enrugadas. Mas o gosto bem diferente do que eu costumava sentir. Foi bem legal”

”Senti mais gosto nessa única passa do que nas vinte que costumo meter na boca ao mesmo tempo sem pensar”

 

FONTE: Atenção Plena – Mindfulness – como encontrar a paz em um mundo frenétivo – Mark Williama e Danny Penman -Sextante: 2015;

ESCONDIDINHO LIGHT DE ABOBRINHA


Participação no Programa Casa&Cia da TV Jornal de Limeira em 4 de Janeiro de 2016.

1474471_10208161201809011_2352241250418025087_n

Ingredientes (para 1 porção)

½ de uma abobrinha italiana cozida no vapor

1 colher de requeijão

2 colheres de iogurte natural desnatado

temperos a gosto

100 gramas de patinho moído ou frango temperado a gosto

12472677_10208161198288923_2239461716196673667_n

Modo de preparo:

Cozinhar a abobrinha em água até que fique bem macia. Espremer com um garfo e misturar todos os ingredientes. Em um refratário colocar a carne por baixo e cobrir com o purê de abobrinha. Colocar no forno 180C para gratinar.

COCADA FIT (Diet e Light)


Participação do Programa Casa&Cia da TV Jornal de Limeira em 4 de janeiro de 2016.

COCADA FIT

1694_10208161198408926_4492293904344844225_n

2 banana prata maduras

100 gramas de coco ralado sem açúcar

óleo para utar forma.

12003_10208161200448977_3352355261169245752_n

Modo de preparo:

Amassar a banana com um garfo até que fique um purê homogêneo. Misturar o coco ralado. Com ajuda uma colher de sopa dar a forma da cocada e colocar na assadeira untada com fio de óleo. Assar em forno médio 120C por 25 minutos.

 

Receita ganha o título de DIET por não ter adição de açucares e Light por ter teor de calorias reduzido da receita original!

PLANEJAMENTO DE METAS


Ano novo, vida nova? Isso depende de você, e ainda reforço, depende muito do seu PLANEJAMENTO! É muito importante nesse inicio de ano reservar alguns minutos da sua rotina e sentar sozinho para planejar as METAS que gostaria de concretizar nesse ano de 2016. Algumas pessoas tem metas novas, ou ainda terão a mesma meta do outro ano (isso exige uma atenção mais especial, pois você precisa analisar o que deixou de fazer para que essa meta fosse atingida).

Minhas-Metas-685x411

Como sou nutricionista Clínica Adepto da Nutrição Comportamental e lido muito com o processo de emagrecimento, segue abaixo alguns pontos importantes para te ajudarem no seu planejamento de eliminação de peso. Responda para você mesmo as resguintes perguntas:

 

1- Que mudança EU quero fazer?

2 – Quais são os motivos para querer essa mudança?

3 – O que eu quero alcançar com essa mudança?

4 – Como eu planejo fazer essa mudança?

5 – Quais estratégias e instrumentos eu planejo usar?

6 – Quais planos eu tenho para os momentos difíceis? OBS: é muito importante contar com os imprevistos e deslizes e se preparar para saber passar por eles sem pânico e desespero, para não aumentar sua ansiedade.

7 – Como outras pessoas ao meu redor podem me ajudar?

8 – Como vou monitorar meu processo?

 

Se você conseguir responder todas essas perguntas para suas metas tenho certeza que estará preparado o suficiente para atingi-las esse ano. Nada precisa ser RÁPIDO, saiba reconhecer o respeitar o seu tempo e o tempo do seu corpo.

 

Caso tenha ficado em DIFICULDADE com alguma pergunta, é muito importante sentar com um profissional de sua confiança e juntos responde-las de maneira mais racional possível.