KEFIR, ganhar ou preparar?


kefir

Também conhecido como “quefir”, cogumelo tibetano, tibico, plantas de iogurte e cogumelo de iogurte, o kefir é um leite fermentado produzido a partir da ação dos micro-organismos presentes naturalmente nos grãos de kefir. Sua origem remonta às montanhas do Cáucaso, há séculos. O termo kefir vem do eslavo “keif”, que significa bem-estar ou bem viver.

O kefir vem se tornando popular nas últimas décadas, principalmente em países da Europa Central.  No Brasil ainda é produzido em escala familiar, conhecido por outros nomes e até mesmo considerado um tipo de iogurte. O aumento do consumo em várias regiões do Brasil está relacionado às suas características sensoriais e funcionais.

Os grãos são constituídos por uma associação positiva entre leveduras e bactérias benéficas. Os micro-organismos presentes nos grãos variam de acordo com a região de origem, o substrato utilizado para a produção do kefir, o tempo de utilização e as técnicas usadas para a sua manipulação.

Como cuidar do kefir?

Para produzir kefir é necessário possuir os grãos de kefir, por isso é comum a doação dos grãos pelas pessoas que produzem. Esses grãos devem ser imersos em um substrato, que pode ser leite [de vaca, cabra, ovelha ou búfala], água com açúcar mascavo ou sucos, mas as formas mais comuns são pelo cultivo em leite ou água com açúcar.

A proporção indicada é de uma colher de sopa de grãos de kefir para cada meio litro de líquido. Indica-se que a mistura seja colocada em um pote de vidro, que não deve ser tampado, apenas coberto por um pano ou guardanapo e mantida a temperatura média de 20ºC a 37ºC.

Para consumir um kefir mais suave, é indicado o tempo de fermentação médio de 6 horas. Para obter o produto mais denso e ácido, o processo deve durar até três dias. Após fermentado, o prazo de validade do kefir sob refrigeração é de até três dias.

Como consumir kefir?

Para consumir o kefir é indicado passar a mistura em uma peneira para separar os grãos do líquido. Os grãos podem ser reaproveitados para produzir um novo kefir. A aparência física do kefir é semelhante ao do iogurte e da coalhada, que pode ser misturado a frutasmelaveia ou de acordo com a sua preferência.

 

OBS: hoje em dia existem vários tipos de fermento lacteos com o MESMO efeito funcional para o organismo e na minha opinião muito mais seguros do ponto de vista microbiológico. Você ganhou o kefir da sua mãe, que ganhou da vizinha, que ganhou da prima, que ganhou da amiga, etc… a contaminação cruzada, por utensílios e até mesmo por contato com baratas, ratos, insetos, etc,, é muito grande. Eu sempre produzo meu próprio iogurte e a cada 10 replicações eu compro uma nova cartela de fermento lácteo. Você encontra em qualquer loja de produtos naturais e o preço é baixo em relação a quantidade de produto que rende (em média 10 litros).

 

MOTIVAÇÃO!


MOTIVAÇÃO!

É caracterizado como um impulso, um sentimento que faz com que as pessoas ajam para atingir um objetivo ou objetivos; do Latim ”motivus”, significa MOVER, gerando alguns comportamentos.

O seu sentido original fundamenta-se no processo no qual o comportamento é incentivado, estimulado ou energizado por algum MOTIVO ou RAZÃO. A motivação é essencial para a vida, para entender o comportamento humano e para compreender o que faz com que alguém aja de determinada forma.

Segundo as pesquisas, e uma questão importante é ter consciência que NINGUÉM é capaz de motivar o outro. A motivação é um aspecto individual. Cada individuo tem a sua capacidade de se motivar ou desmotivar, conhecida como AUTOMOTIVAÇÃO, ou motivação intrínseca, que ocorre por meio de uma força interior, e pode mudar ao longo do tempo e sofrer influências internas e externas.

a motivação Intrínseca pode ser vivenciada de três formas:

1 – Ao aprender, explorar ou tentar compreender algo novo.

2 – Ao tentar uma tarefa, o desafio de criar algo ou se superar.

3 – Pelo estimulo das sensações prazerosas associadas às mudanças (inclusive estéticas) que influenciam os sentidos.

A motivação para realização de qualquer mudança se dá pela consciência (preciso mudar, quero mudar, assim não dá mais, etc…) e depende do momento de vida da pessoa (desejo, confiança e prontidão para mudar).

OBS: Quando vemos fotos de antes e depois, uma amiga que mudou seus hábitos, embora você teve uma motivação extrínseca, na verdade ela ATIVOU sua consciência (você para de acreditar em algumas crenças por exemplo – de não ser capaz, de não ter idade, etc…) e então ativa a sua própria motivação intrínseca.

QUAIS MOTIVOS VOCÊ TEM PARA MUDAR? Se você souber responder essa pergunta você será motivada o suficiente para conseguir atingir seu objetivo. 😀

(texto Adaptado do Livro Nutrição Comportamental 2015).