Carboidrato engorda?


Carboidrato engorda?

Depende! Assim como gordura e proteinas, eles são micronutrientes. Qualquer um deles consumido em excesso vai te engordar! Qualquer um deles consumido dentro do adequado vai te manter ao promover queima de gordura.

Os carboidratos são recomendados de 30 a 60% do nosso total diário de preferência de fontes integrais como: aveia, arroz, milho, frutas, legumes, farinhas, pães, etc…

Tem pessoas que se dão bem em consumir 30% outra 40% ou 50% e tudo bem! Não existe percentual ideal, pois cada indivíduo responde de maneira diferente aos nutrientes. Cabe ao nutri e você irem descobrindo essas variações.

Obs: não há necessidade de zerar carboidrato da rotina, mas, como tudo é livre arbítrio quem o faz, ok. Mas tudo que desrespeita nosso corpo terá consequências! Pense nisso!

Conheça mais sobre meu trabalho: linktr.ee/rodolfoscatolon

O Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) alerta sobre supostas “terapias milagrosas” no campo da nutrição relacionadas ao coronavírus.


O vírus causador da COVID-19, classificada como pandemia no Brasil, fez soar os alertas da população sobre formas de prevenção e comportamentos de saúde. Diante disso, o CFN enfatiza e alerta para as orientações do Guia Alimentar para a População Brasileira, publicado pelo Ministério da Saúde, em 2014, que ressalta que dentre as diversas informações sobre alimentação e saúde existente, poucas são de fontes confiáveis.

Assim, o órgão se preocupa com as informações que têm circulado nas redes sociais, principalmente, como áudios, vídeos e cards que orientam sobre supostas “terapias milagrosas” no campo da nutrição. Direcionando para alimentos, superalimentos, shots, sucos e até mesmo soroterapias por infusão endovenosa de nutrientes. Esses que passam a ser alardeados como capazes de prevenir ou mesmo combater o coronavírus por meio do fortalecimento do sistema imunológico.

O CFN reforça, diante de tais informações, que não existem protocolos técnicos ou evidências científicas que sustentem tais alegações. Mas aponta que uma alimentação rica em micronutrientes e atrelada a substâncias bioativas presentes nos alimentos com atividade de redução do risco de doenças, quando utilizados de forma adequada e habitual, podem fomentar o condicionamento mais eficiente e reduzir o risco de doenças.

Contudo, enfatiza a percepção de que é fundamental conscientizar-se de que tais hábitos, por si, não são suficientes para livrar a população de sua responsabilidade de adotar todas as medidas de prevenção recomendadas. Quanto à alimentação saudável, se compõe da diversidade alimentar e deve ser adequada individualmente, por meio da assistência prestada pelo nutricionista.

FONTE: https://www.revistanutrionline.com/2020/04/15/alerta-do-cfn-sobre-informacoes-nutricionais-relacionadas-ao-coronavirus/?mc_cid=f93604dd93&mc_eid=a4d0661abc