Alimentação Saudável em casos de Hipertensão Arterial


A pressão alta é um mal silencioso. A ausência de sintomas atrapalha o diagnóstico e ele, muitas vezes, só é feito quando há complicações. A melhor maneira de descobrir se é hipertenso é aferindo a pressão com regularidade de, no mínimo, uma vez por ano. A hipertensão ocorre quando a pressão arterial está acima do limite considerado normal. Ou seja, quando a máxima está em 120 e a mínima em 80 milímetros de mercúrio, conhecido popularmente como 12 por 8.

Cerca de 25% da população brasileira, chegando a mais de 50% na terceira idade e a 5% de crianças e adolescentes no Brasil sofrem com a doença.

O sobrepeso e a obesidade, por exemplo, são fatores de risco para a pessoa desenvolver a hipertensão arterial. A ingestão excessiva de sal e o sedentarismo também. E apesar de não ser uma doença exclusivamente genética, se é mais comum na família, a pessoa sofre um risco aumentado de ter pressão alta”.

Sódio

O sódio regula a quantidade de líquidos que ficam dentro e fora das células. Quando há excesso do nutriente no sangue, ocorre uma alteração no equilíbrio entre esses líquidos sobrecarregando o coração e os rins, situação que pode levar à hipertensão.

Se o consumo for reduzido para a recomendação diária da Organização Mundial de Saúde (OMS), a ingestão deve ser reduzida para menos de 5g por pessoa diariamente. Estima-se que 1,5 milhão de brasileiros não precisariam de medicação para hipertensão e a expectativa de vida seria aumentada em até quatro anos. FONTE: http://www.brasil.gov.br/…/dia-nacional-de-combate-a-hipert…

 

 

PREFERIR

  • Manter o peso adequado;
  • Carnes magras em preparações assadas, grelhadas ou cozidas;
  • Leite/iogurte/coalhada desnatados, queijos brancos;
  • Óleos vegetais: soja, azeite, milho, girassol;
  • Alimentos ricos em potássio: inhame, feijão preto, lentilha, abóbora, cenoura, chicória, couve-flor, vagem, espinafre, nabo, rabanete, abacate, ameixa, laranja, mamão, maracujá;
  • Temperos como alho, salsa, coentro, cebola, cobolinha, orégano, limão e louro no lugar do sal;
  • Peixes gordos: sardinha, atum, cavala, salmão, arenque;
  • Semente de linhaça dourada (2 colheres de sopa/dia): fonte de Omega-3;
  • Aipim, inhame, batata-doce, pão integral;
  • Alimentos ricos em magnésio: couve, salsa, espinafre, gérmen de trigo, pão integral, nozes, Amêndoas;
  • Ler rótulos dos alimentos industrializados evitando alto teores de sódio e cloreto de sódio;

 

EVITAR

  • Carnes gordas e frituras;
  • Enlatados: molhos de tomate, azeitonas, picles, salsichas;
  • Embutidos: linguiça, mortadela, salame, apresuntado, calabresa;
  • Salgados: carne-seca, toucinho, bacon, aves/peixe defumados;
  • Caldo de carne, galinha, legumes, bacon ou temperos prontos, sopas desidratadas;
  • Leite integral ou desnatado em pó, leite/coalhada/iogurtes integrais, queijos amarelos, cremosos, nata;
  • Produtos industrializados contendo sódio: bicarbonato de sódio, fosfato de sódio, glutamato monossódico, hidróxido de sódio, sulfato de sódio, propionato de sódio, ciclamato e sacarina sódica;
  • Estimulantes: café, chá preto, chá mate, guaraná natural, refrigerantes a base de cola;
  • Antiácidos sem prescrição médica;
  • Alimentos dietéticos em excesso

FONTE: Manual de Nutrição Clínica 2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *