Essa vontade de comer está me matando!


Essa vontade de comer está me matando!

Bom primeiro é bom lembrar que ”vontade” de comer é um processo que precisa ser trabalhado. É importante lembrar que as vontade aparecem por muitos motivos entre eles as lembranças do sabor, cor, texturas dos alimentos, lembranças do próprio cérebro que aquele alimentos foi consumido em algum momento de alegria, tristeza, etc, por motivos emocionais não bem trabalhados, por questão ambientais (o quanto o alimento está a disposição e a família e convívio social).

download (1)

 

Mas então porque os doces, os carboidratos? primeiramente pelas questões acima mencionadas, por eles TEREM ALGUM PAPEL IMPORTANTE PARA VOCÊ, e os carboidratos e as gorduras pela sua composição nutricional são precursores de hormônios como serotonina e dopamina (hormônios do bem estar e satisfação).

Mas como controlar esses desejos?

– Primeira coisa é você tenha consciência que existem outras atividades que liberam essa mesma sensação ao organismo como atividade física, ou até mesmo as castanhas, bananas, folhosos verdes escuros, chocolate 70%, laranja, aveia, entre outros… mas talvez esses alimentos ainda não estejam na sua preferencia ou você ainda não associou que eles também trazem bem estar (até mesmo porque é cultural que chocolate e pão são alimentos que trazem alegria, e seu cérebro faz questão de te trazer isso a tona quando você se desequilibra por algum motivo).

Antes da segunda dica quero lembrar que na literatura científica hoje se fala nos ”confort foods” que são aqueles alimentos que PARTICULARMENTE trazem prazer a pessoas e esses podem ser os mais diversificados não só doces e pão, pois tudo depende de como a pessoa cresceu tendo acesso e o que esses alimentos representam para ela com um contexto muito mais AMPLO QUE ”SOMENTE COMER”. Estudos mostram que os os desejos por confort foods devem ser trabalhados com cuidado pois muitas pessoas mesmo que seguindo todas as dicas e SUBSTITUIÇÕES ainda ficam ansiosas e acabam comendo o alimento de conforto. Ou seja, embora hajam tentativas/alternativas se o alimento não for consumido isso pode levar a momentos de compulsão ou aumento de ansiedade por se privar do alimento em questão. Então segue a minha dica:

Segunda dica: PLANEJAMENTO! PLANEJAMENTO! PLANEJAMENTO! Você tem seu alimento preferido certo? Ele te traz momentos de prazer né? Então você concorda que se te dá prazer é de bom grado você APROVEITAR o momento de comer esse alimento? (existem algumas técnicas para serem trabalhadas mas que aqui não dá para compartilhar, por isso é importante mesmo que leiamos texto de profissionais que gostamos, é sempre bom PROCURAR UM PROFISSIONAL e não ficar somente nas dicas de internet), mas a dica que quero compartilhar é:

COLOQUE METAS: por exemplo, quantas vezes na semana você tem comido um alimento ”não tão saudável” ou esses alimentos de conforto? Sugiro que você coloque por exemplo dias específicos para eles serem ingeridos (exemplo toda terça e sexta as 20:30 vou comer esse chocolate – ou outro), e dai quando aquela vontade de comer vier você precisa trabalhar sua determinação e pensar da seguinte forma:

”Na terça-feira já pude comer o meu chocolate, logo, posso esperar até sexta para comer novamente”

”Agora não preciso ceder e comer mais uma porção de chocolate, pois já tenho dois dias que posso fazer isso sem culpa”

”Essa refeição não está no meu planejamento, por isso vou deixar para come-lo no dia que está planejado”

Isso vai te ajudar a trabalhar seu auto-controle e te ajudar atingir seu objetivo mais fácil além de preservar sua boa relação com o alimento, pois restrição só piora as coisa.

Rodolfo Scatolon Nutricionista CRN38692

  • Gostei muito desta dica.Pois parei de ir na nutricionista por motivo de trabalho e acabei engordando ….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *