Simbióticos – A saúde do seu intestino é sua saúde!


Simbióticos – A saúde do seu intestino é sua saúde!

 

download (1)

Prebióticos são definidos como carboidratos não-digeríveis que estimulam o crescimento e/ou a atividade de um grupo de bactérias no colo, trazendo benefícios à saúde do indivíduo.

Os probióticos, por sua vez, são micro-organismos vivos capazes de alcançar o trato gastrintestinal e alterar a composição da microbiota, produzindo efeitos benéficos à saúde quando consumidos em quantidades adequadas.

Estudos in vitro e in vivo têm demonstrado que o ecossistema bacteriano intestinal normal representa barreira extremamente efetiva, em oposição a microorganismos patogênicos e oportunistas, através do equilíbrio entre as espécies de bactérias residentes. Assim, situações de desequilíbrio entre espécies podem representar potencial ameaça para o surgimento de diversas doenças, associadas ou não à diminuição da defesa imunológica do hospedeiro.

Logo, a flora intestinal pode proteger os indivíduos contra infecções. Por outro lado, o distúrbio dessas populações de microorganismos, como nas diarreias agudas ou nas intervenções dietéticas restritivas, pode romper esse equilíbrio e aumentar a suscetibilidade às infecções, como Clostridium difficile (associado com colites pseudomembranosas) e presença de Shigella, Vibrio cholera, Escherichia coli patogênica, Campylobacter e rotavírus, que ainda são os determinantes de grande número de mortes. Adicionalmente, o uso muitas vezes indiscriminado, de antibióticos determina aumento da incidência de patógenos microbianos antibiótico-resistentes.

Alguns artigos também já relacionam que a melhora da colonização intestinal podem interferir nas escolhas alimentares do individuo. Outro artigo publicado na NATURE em 2015 sugere que o intestino bem proliferado pode auxiliar no controle da depressão.

Alguns relatos na literatura que sugerem ou que demonstram que o consumo de produtos alimentares que contêm microorganismos probióticos podem reduzir o nível de colesterol no soro em humanos. O primeiro relatório científico associar bactérias do ácido láctico com uma redução no colesterol sérico foi publicado em 1974 por Mann e Spoerry, que observou uma redução de 18% no nível de colesterol total no soro de guerreiros de uma tribo Africano cuja dieta incluía regularmente leite fermentado pelos lactobacilos.

Alguns dos efeitos atribuídos ao prebióticos incluem a modulação de funções fisiológicas importantes, tais como a absorção de cálcio, o metabolismo lipídico, glicemia, a modulação da composição da microbiota intestinal – que desempenha um papel primordial na fisiologia gastrointestinal, e um risco reduzido de câncer do cólon.

Lembre-se, intestino bom não quer dizer somente ir ao banheiro todos os dias, mas sim a colonização intestinal em perfeita harmonia. (para detectar isso é indicado um exame proctológico ou o nutricionista pode avaliar pelo tipo de alimentação do paciente).

 

probioticos1

 

 

 

DENIPOTE, Fabiana Gouveia; TRINDADE, Erasmo Benício Santos de Moraes  e  BURINI, Roberto Carlos. Probióticos e prebióticos na atenção primária ao câncer de cólon. Arq. Gastroenterol. [online]. 2010, vol.47, n.1 [citado  2015-07-22], pp. 93-98 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032010000100016&lng=pt&nrm=iso>. ISSN 0004-2803.  http://dx.doi.org/10.1590/S0004-28032010000100016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *